A Manauara é tricampeã da Copa Ouro de Futsal

 final da 12ª Copa Ouro de Futsal foi uma das mais eletrizantes entre todas, pois, houve emoção do primeiro ao último minuto.

Como manda o manual de uma boa decisão, cada time teve seus momentos de predomínio.

O primeiro tempo foi quase todo da A Manauara, que foi tão superior, que poderia ter decidido o título nos primeiros vinte minutos de jogo, uma vez que criou um grande número de oportunidades que foram desperdiçadas por seus atacantes, o que por pouco não lhe custou o título, pois esteve muito perto de perder a partida.

Já a segunda etapa teve o predomínio do Trovão Azul, que já estivera melhor a partir dos dezesseis minutos da fase inicial.

A equipe azulina fez um primeiro tempo muito abaixo do que havia apresentado em quase todos os jogos da fase de classificação, com falhas sucessivas na defesa porque marcava mal, proporcionando diversos contra-ataques perigosos da equipe amarela.

Aos cinco minutos de Jogo Luisão aproveitou um dos muitos contra-ataques para abrir a contagem para A Manauara, calando a ouriçada torcida do Trovão.

Miller deixou sua marca aos 15 minutos fazendo 2×0, sendo esse o placar do primeiro tempo, o que acabou sendo um prêmio para o Trovão Azul, que poderia ter saído para o intervalo com uma goleada porque, além dos dois gols marcados, A Manauara teve, pelo menos, mais quatro oportunidades claríssimas de gol.

No segundo tempo a história foi diferente, invertendo-se o domínio, mas, com uma diferença em relação ao que aconteceu no primeiro, pois embora tenha tomado conta do jogo, sendo bem superior, o Trovão Azul não teve a mesma facilidade que proporcionou para seu adversário da fase inicial. Porém, foi mais eficiente na finalização.

Biolay acertou um chute de longa distância, com grande categoria, descontando para o Trovão Azul.

Ney, o matador, artilheiro da Copa Ouro 2018, empatou e virou o placar em favor do Trovão, fazendo 3×2. Mas, o oportunista Luisão empatou quando faltava pouco mais de um minuto para terminar o tempo regulamentar. E foi assim que ficou, o que levou a decisão para a prorrogação.

Os dois times estavam claramente extenuados, pois haviam gastado quase toda a energia nos quarenta minutos de jogo. Mesmo assim continuaram buscando o gol nos dez minutos da prorrogação, e ambos tiveram chance de mexer no placar.

A Manauara teve um direto livre a seu favor no primeiro tempo da prorrogação. Dieguinho, que mal entrara em campo, foi chamado do banco para cobrar. Mas, embora seja um ótimo finalizador, não cobrou bem, além de que o excelente goleiro Blague saiu bem, fechando o ângulo e dificultado a vida do batedor.

O Trovão Azul também teve sua oportunidade perto do final da prorrogação, desperdiçada pelo excelente chutador Biolay, mas, não por incompetência, e sim pela intervenção precisa do goleiro Beto, que foi perfeito em sua saída do gol para fechar o ângulo.

Seria o gol do título.

E ainda haveria mais emoção pela frente, porque o placar de 3×3 se manteve, e decisão foi para os pênaltis.

A primeira cobrança foi do Trovão Azul através do artilheiro da competição, Ney, que Beto defendeu.

Daí em diante todos os batedores converteram suas cobranças, até Luisão colocar a bola para dentro do gol na última cobrança da A Manauara, e correr para o abraço geral da galera amarelo e preto.

A conquista da Manauara foi justa? Foi, como seria justa se o Trovão ficasse com o título, pois ambos os times fizeram por merecer, mas, só um pode levantar a taça no final.

A Manauara conquistou o seu terceiro título, o segundo seguido, tornando-se tricampeão da Copa Ouro de Futsal.

Ainda não foi dessa vez que o Trovão Azul saiu da fila que agora vai para sete anos. Chegou muito perto do sonhado tetra.

Texto: Jota Parente
Fotos: Jota Parente e Parentinho

Comente com o Facebook
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
Compartilhe

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *